BRACARA ANGVSTIA

from by PÉ ROTO

/

lyrics

O ar gélido dilacerante corta-me o fôlego, queima-me o pulmão
O inverno eterno congelou o Sol, a cidade mergulhou na escuridão
Apatia gravada nestas paredes que gritam melancolia e desilusão
Corrompidas pela moral da lei da cruz e do cifrão

Perdido nesta bracara angústia,
Amarras que me prendem ao fundo do poço
As raízes apodrecem com o passar do tempo,
Frutos envenenados contaminam o solo!

666 badaladas são o hino da repressão
Do topo das torres da Sé a omnipresença da inquisição
Os demónios que nos devoram a alma,
impregnam-nos a carne com o cheiro da morte
Num ato de cobardia lançam-nos à fogueira,
ardemos a assistir ao triunfo dos porcos

Perdido nesta bracara angústia,
Amarras que me prendem ao fundo do poço
As raízes apodrecem com o passar do tempo,
Frutos envenenados contaminam o solo!

credits

from BRACARA ANGVSTIA, released July 30, 2016

tags

license

all rights reserved

about

PÉ ROTO Braga, Portugal

contact / help

Contact PÉ ROTO

Streaming and
Download help

Redeem code